Como Escolher os Melhores Jogadores de FIFA 18

4
Como Escolher os Melhores Jogadores de FIFA 18

 

Não sabe sequer por onde começar a sua equipa? Está indeciso entre dois jogadores? Falta-lhe apenas decidir mais uma posição? Qualquer que seja a sua dificuldade, nós estamos cá para o ajudar. Aprenda a escolher os melhores jogadores de FIFA 18 para a sua equipa.

 
 
OS CRITÉRIOS
QUÍMICA | ATRIBUTOS | OUTRAS CARATERÍSTCAS | PREÇO


 
 
 

Como Escolher os Melhores Jogadores de FIFA 18

Os quatro critérios
 

O modo Ultimate Team diferencia-se dos restantes por permitir que cada um de nós construa a sua equipa de sonho. Uma equipa que sintamos nossa, com que nos identifiquemos. O que torna isto tudo tão único é o facto de todos sermos diferentes, com gostos distintos.

Para construirmos a nossa equipa, não interessa saber quem são os melhores jogadores de FIFA 18 pois isso é algo muito subjetivo. O que importa é saber quais os jogadores que encaixariam melhor no nosso estilo de jogo, na nossa formação, no nosso orçamento e na nossa equipa. Nem sempre isso é fácil de se fazer, até porque vão saindo cartas novas ao longo da época, mas nós vamos-lhe dar todas as ferramentas para pelo menos você tentar. Descubra quem é a sua equipa.

Na nossa opinião, a sua escolha deveria basear-se nos seguinte quatro critérios:

1 Química
2 Atributos
3 Outras Caraterísticas
4 Preço

 

 
 

Primeiro Critério: Química

O seu ponto de partida
 

É incontornável. Quando queremos começar uma equipa de raiz, o primeiro critério na seleção dos jogadores é sempre a química. Ela obriga-nos a planear as nossas compras com muita antecedência e força-nos a basear a nossa equipa numa liga ou numa nacionalidade. Quem for muito experiente, poderá também optar uma equipa híbrida mas estará sempre sujeito às leis da Química para poder construí-la.

Para os poucos que não sabem, a química afeta o rendimento de um jogador dentro das quatro linhas. Um jogador com química baixa é propenso, por exemplo, a falhar mais passes e mais remates. De modo a garantir uma boa química, além de ser recomendável que os jogadores atuem nas suas posições preferidas, deve-se colocá-los ao lado de colegas com quem tenham um elemento em comum: mesmo clube, mesma liga e/ou mesma nacionalidade. O modo mais fácil de fazê-lo é criar equipas que sejam constituídas unicamente por jogadores de uma só liga ou de uma única nacionalidade. Se quer descobrir qual a liga certa para si, clique aqui.

 
 

Posições

Quando você constrói uma equipa é óbvio que está sempre condicionado pelas posições dos jogadores. Você tem de escolher no mínimo 18 atletas e sabe de antemão que pelo menos um terá de ser guarda-redes. Depois, se quiser que a química não seja negativamente afetada, irá ter de comprar jogadores para as posições que necessita, de acordo com a sua tática. Nem sempre elas terão de coincidir, pois você pode fazer-se valer das cartas de posição, mas decerto compreenderá que os 18 jogadores não poderão ser todos atacantes ou todos defesas.

A questão que você pode colocar aqui é a de até que ponto você poderá desrespeitar a química. Por exemplo, o rendimento será assim tão afetado se você utilizar um defesa central para colmatar a frequente falta de qualidade dos defesas laterais? A maioria dos jogadores cumpre com a química religiosamente mas não tem de ser necessariamente assim. É verdade que nós costumamos aconselhar a que todos os jogadores tenham química igual ou superior a 7, mas depende da alternativa. Embora não hajam indicadores concretos, regra geral, um Cristiano Ronaldo colocado a ST renderá mais que um Aduriz, jogador cuja posição original é essa.

Se você quiser colocar um jogador fora da sua posição natural, deve verificar em primeiro lugar se ele possui os atributos necessários para jogar nessa nova posição. Essa adaptação só faz sentido se houver uma diferença de qualidade muito grande entre o melhor jogador dessa posição e o jogador que o irá substituir, de tal forma que compense a penalização provocada pela química. Além disso, é recomendável que as posições tenham alguma relação entre si, de modo a que o jogador conserve alguma química consigo.

Se experimentar adaptar jogadores a novas posições, irá certamente ficar surpreendido com a ligeira quebra de rendimento que os mesmos sofrem, mesmo apesar da reduzida química com que jogam. Porém, é importante fazer notar que você não deve abusar destas adaptações. É que se o fizer a mais de um jogador numa mesma equipa, começará a afetar não só a química individual dele como a química de toda a equipa.

Como Escolher os Melhores Jogadores de FIFA 18


 
 
 

Segundo Critério: Atributos

O que diferencia uns jogadores dos outros
 

Vamos já desmistificar uma coisa: os jogadores não passam de números. Por mais que a EA Sports se esforce por nos fazer crer que eles assumem identidades únicas, a verdade é mesmo essa: os jogadores são meros números e devem ser analisados como tal. Temos a certeza de que isto não é bem aceite por muitas pessoas que vivem experiências únicas que as ligam emocionalmente aos jogadores. No fundo é bom acreditar que eles são algo mais do que isso, mas fazê-lo é deixar-se iludir por algo que é até muito óbvio. Não é o aspeto físico dos jogadores que afeta o seu rendimento, nem tão pouco as traits e as specialities que quase não existem no modo Ultimate Team. São os atributos. São eles os responsáveis por sentirmos que cada jogador é diferente. E são eles que você deve analisar cuidadosamente quando está a planear a sua equipa. Muitas vezes a percepção de um mesmo jogador muda, em função do adversário, da dificuldade do jogo, da formação ou de qualquer um entre dezenas de outros motivos. Ainda assim, os atributos são o elemento mais exato que temos para poder comparar jogadores.

Por preguiça ou por desconhecimento, muitas pessoas cometem o tremendo erro de avaliar a qualidade de um jogador pelo seu rating. Para saber quão bom é um jogador, você não deve olhar para o seu rating. Ele apenas mostra, de um modo geral, quão popular é o jogador e quão bom é em determinados atributos. O Overall rating não é uma média ou um reflexo de todos os atributos. Não revela nada sobre os verdadeiros atributos técnicos, mentais e físicos dos atletas. Por vezes, os jogadores de FIFA 18 Ultimate Team com ratings mais baixos podem ser melhores escolhas.

Em FIFA 18 Ultimate Team existem 36 atributos que apenas podem ser visualizados In Game, no ecrã de gestão da equipa, ou então numa base de dados. Só você poderá saber exatamente que atributos os seus jogadores deverão ter pois isso varia consoante o seu tipo de jogo. Se por exemplo, você abusa dos cruzamentos para a área, será bom que tenha alas com bom crossing e finalizadores com bom heading. Se por outro lado gosta de jogar em contra-ataque, é importante que os seus jogadores mais avançados sejam rápidos e que os seus centro campistas tenham bom passe. Tudo isto é muito intuitivo, basta que você olhe para o seu esboço de equipa e pense o que quer fazer dela. Se ainda assim tem dificuldade, nós ajudamos-lhe.

 
LISTA DE ATRIBUTOS[vc_row][vc_column width=”1/3″]✔️ Acceleration
✔️ Aggression
✔️ Agility
✔️ Balance
✔️ Ball Control
✔️ Composure
✔️ Crossing
✔️ Curve
✔️ Diving
✔️ Dribbling
✔️ Finishing
✔️ Free Kick
[/vc_column][vc_column width=”1/3″]✔️ Handling
✔️ Heading
✔️ Interceptions
✔️ Jumping
✔️ Kicking
✔️ Long Passing
✔️ Long Shots
✔️ Marking
✔️ Penalties
✔️ Positioning
✔️ Positioning Gk
✔️ Reactions
[/vc_column][vc_column width=”1/3″]✔️ Reflexes
✔️ Short Passing
✔️ Shot Power
✔️ Sliding Tackle
✔️ Speed
✔️ Sprint Speed
✔️ Stamina
✔️ Standing Tackle
✔️ Strength
✔️ Vision
✔️ Volleys
[/vc_column][/vc_row]
 
 

Como dissemos, a escolha de um jogador deve ser feita com base nos seus atributos. Por serem tantos, quando jogamos com eles ficamos com a sensação de que não é possível escolhê-los recorrendo apenas aos números. Porém, esquecemo-nos de que os números são muito mais exatos do que a nossa experiência de jogo, essa si corrompida por inúmeros fatores: nossa disposição para jogar, qualidade do adversário, alterações efetuadas na nossa equipa, ocorrências várias durante o jogo, etc… Não estamos a dizer que você não deve escolher jogadores com base na experiência que teve com os mesmos, mas deverá formar uma opinião apenas após um mínimo de 10 a 15 jogos. Além disso, na maioria das vezes não é possível experimentar os jogadores que queremos juntar para a nossa equipa, pelo que uma boa análise aos atributos dos jogadores será sempre um procedimento mais acertado.

Mas então como fazer essa análise? Primeiro que tudo é importante conhecer o que significa cada atributo, o que pode ser feito clicando aqui. Depois é também importante que percebamos que jogadores com atributos mais altos não são necessariamente melhores. O que nos interessa aqui é encontrarmos os jogadores certos para a nossa equipa e isso faz-se identificando as caraterísticas que eles devem ter e procurando quais os que as têm mais desenvolvidas e que cabem dentro do nosso orçamento. Imagine, por exemplo, que você procura um defesa central para jogar no centro de outros dois defesas centrais e cuja principal função é a de defender. Tackle, Interception, Marking, Jumping, Strength e Heading Acc são as principais caraterísticas que ele deverá possuir. Se você quisesse encontrar o jogador ideal bastaria ver qual o que teria o maior somatório destes atributos. Obviamente que outros atributos altos são sempre bem vindos mas é nestes que você se deverá focar para este exemplo. Porém, as coisas não são assim tão simples (já está a achar isto complicado?). É que mesmo dentro destes atributos, há uns mais importantes que outros e você não os pode colocar todos no mesmo saco. Ou seja, teria de dar pesos a cada um dos atributos de modo a que pudesse encontrar uma média ponderada que refletisse na perfeição o jogador que você procura. Para o exemplo em questão, poderia definir que o Tackle valeria 35%, a Interception 10%, o Marking 20%, o Jumping 15%, a Strength 15% e Heading Acc apenas 5%.

Em rigor, você deveria ainda juntar à fórmula que você próprio criou com base no seu estilo de jogo e tática, coeficientes que refletissem a importância de todos os outros atributos, as cargas de trabalho, o star skill e o weak foot. O ideal seria mesmo criar um peso para cada um dos atributos e caraterísticas, de modo a obter um valor final absoluto que não dependesse de mais nada. Porém, além de muito trabalhoso, atribuir todos esses pesos seria difícil para quem não dominasse o jogo na perfeição. É por esse motivo que existem outras estratégias mais simples para se determinar quão bom um jogador é para a nossa equipa, e que ainda assim nos permitem retirar conclusões suficientemente boas.

Para quem quiser manter as coisas o mais simples possíveis, recomendamos que analisem os atributos básicos em vez dos atributos IG. Essa é no fundo a função deles, e é assim que a esmagadora maioria das pessoas seleciona os seus jogadores. Os atributos básicos são os seis atributos que constam em todas as cartas de jogadores: velocidade, remate, passe, drible, defesa e físico. Eles mais não são do que uma média ponderada dos atributos que denominamos In Game. Para escolher um jogador, você deverá focar-se nos atributos básicos e casualmente em um ou dois atributos IG que julgue serem de extrema importância para a situação que você está a analisar. Por exemplo, seguindo o caso do defesa central de que falamos acima, todas aquelas IG stats poderiam ser substituídas por uma única, a defesa, que não só já reflete todos esses atributos como ainda por cima o faz de modo ponderado de acordo com a sua importância. Bastaria juntar à sua análise a strenght que não está incluída na defesa mas sim no físico. Por esse motivo, é importante que saibamos a que corresponde cada um dos seis atributos básicos. Só assim é que poderemos simplificar tudo cingindo a nossa análise a estes atributos ou extendedo-a a outros atributos IG que considerarmos importantes. Esse conhecimento dá-nos também a possibilidade de poder ajustar os pesos de cada um deles de acordo com a nossa preferência ou de ficar a conhecer quais as IG stats mais importantes e sobre quais deveremos prestar mais atenção. Agora que já percebeu a importância dos atributos básicos, vamos ver de que são eles feitos:

 
[vc_row][vc_column width=”1/3″]

➡️ PACE
55% Sprint Speed
45% Acceleration

➡️ SHOOTING
45% Finishing
20% Long Shots
20% Shot Power
05% Volleys
05% Att. Positioning
05% Penalties

[/vc_column][vc_column width=”1/3″]➡️ PASSING
35% Short Pass
20% Crossing
20% Vision
15% Long Pass
05% Curve
05% FK Acc
 
➡️ DRIBBLING
50% Dribbling
35% Ball Control
10% Agility
05% Balance
[/vc_column][vc_column width=”1/3″]➡️ DEFENDING
30% Stand Tackle
30% Marking
20% Interceptions
10% Heading Accuracy
10% Slide Tackle
 
➡️ PHYSICAL
50% Strength
25% Stamina
20% Aggression
05% Jumping

[/vc_column][/vc_row]
 

Se você não for suficientemente experiente, provavelmente terá dúvidas em identificar quais os atributos a que deverá dar mais atenção aquando da escolha de um jogador. Nós não conhecemos o seu estilo de jogo, mas de acordo com a sua formação e com a posição do jogador, podemos sugerir os que nos parecem mais importantes. Essa informação pode ser vista aqui, juntamente com os work rates que julgamos ideais para cada uma dessas situações.

De um modo geral, estes são os atributos que mais valorizamos em função das posições:

GK | Reflexos e Mergulho
CB | Defesa, Físico e Velocidade para pelo menos um dos defesas
RB/LB | Defesa, Velocidade e eventualmente Drible para os RWB e LWB
CDM | Defesa, Passe e Físico
CM/CAM | Passe e Drible
ALAS | Velocidade, Drible e Passe
CF/ST | Remate, Físico e Velocidade

Obviamente que esta é uma análise muito simplista. Com um conhecimento um pouco mais profundo do jogo poderemos ainda acrescentar à lista de atributos a controlar atentamente a Força (strenght) e, para determinadas situações, a Resistência (stamina). A primeira é frequentemente ignorada pelos jogadores mas tem um contributo cada vez mais decisivo em função da evolução da jogabilidade dos jogos FIFA. A segunda passou a ser importante a partir de FIFA 16, pois em anos anteriores não tinha efeito prático nenhum. Ela é mais importante em jogadores que atuem em posições e táticas mais propícias à corrida, e com cargas de trabalho mais agressivas. É nestes que você deve verificar se os níveis de stamina são altos ou não.

Toda esta ginástica para encontramos os jogadores ideias para a nossa equipa pode parecer um pouco complexa, pois existem muito atributos a ponderar. Porém no caso dos guarda-redes tudo é simplificado. Eles têm apenas 6 atributos básicos. Não têm IG stats, nem skill moves, nem work rates. Nada. A formação e o estilo de jogo pouco ou nenhuma influência tem na altura de se escolher estes jogadores. Eles são pura e simplesmente formados por sete simples números (sim, além dos atributos há também a altura!). E são eles que fazem parecer que os guarda-redes são todos diferentes uns dos outros. Você escusa de dar atenção ao feedback que recebe de que guarda-redes X deixa entrar bolas fáceis muito frequentemente. Isso não vale de nada. Você ouviu isso de duas ou três pessoas mas se calhar há muitas mais que defendem o contrário. A única maneira de saber se um guarda-redes é ou não é bom, é através das suas stats. Na nossa opinião, a ordem decrescente da importância dos atributos de um guarda-redes é a seguinte: reflexos, mergulho, jogo de mãos, posicionamento, velocidade e jogo de pés. Cabe a si dar pesos a cada um destes atributos e metê-los na balança. Se for permissivo defensivamente nas imediações da sua área, deverá também dar especial atenção à altura do guarda-redes pois quando eles são baixos têm maior probabilidade de deixar a bola entrar aquando de remates em jeito efetuados nesta zona.

Como Escolher os Melhores Jogadores de FIFA 18


 
 
 

Terceiro Critério: Outras Caraterísticas

Cargas de trabalho, skills, pé fraco, Pé favorito e altura
 

Com uma simples folha de cálculo, você consegue encontrar o jogador perfeito para a sua equipa. Basta selecionar os atributos mais importantes e dar pesos a cada um deles. Porém, e se algumas das caraterísticas dos jogadores não fossem mensuráveis? Tudo se complicaria, não é? A verdade é que além dos atributos, você deve prestar atenção a outras cinco caraterísticas que os definem:

✔️ ALTURA DO JOGADOR
Embora não seja decisivo, você deve prestar atenção à altura do jogador, principalmente se ele for um atacante, um defesa central ou um guarda-redes, embora também seja útil na posição CDM. Um jogador mais alto que tenha um bom salto, terá maiores probabilidades de ter sucesso nas alturas.

✔️ PÉ FAVORITO
Verifique com atenção se está a dispor corretamente os seus jogadores em campo, ou se algum deles não deveria mudar de lado para favorecer o pé com que joga melhor.

✔️ PÉ FRACO
Este é o tipo de caraterísticas que deve servir sobretudo como forma de desempate entre dois ou mais jogadores. Não que não seja interessante, mas porque é mais importante ter bons atributos do que jogar bem com ambos os pés. Se pensar em comprar um finalizador, não deixe ainda assim de ver se ele tem um bom weak foot. Em campo irá notar a diferença entre um jogador com alto e com baixo weak foot.

✔️ SKILL MOVES
Jogadores com altos skill moves passam pelos adversários com maior facilidade. Eles conseguem também executar movimentos técnicos mais complexos embora isso seja mais para o show off do que propriamente para dar algo de positivo à equipa. A maioria dos movimentos de três estrelas é tão ou mais eficaz que os de cinco estrelas. Tal como o Weak Foot, os Skills Moves devem servir sobretudo para desempatar escolhas, a menos que você seja um skiller por natureza e nesse caso não prescinda de jogadores dotados neste capítulo.

✔️ CARGA DE TRABALHO
Ao contrário das outras, esta é para nós, sem dúvida alguma, uma caraterística que não deve em caso algum ser descurada na altura de se escolher um jogador. Não é por aqui que deve começar a seleção dos jogadores mas quando tiver uma shortlist este pode efetivamente ser um fator eliminatório. Evite sobretudo cargas de trabalho low/low, ou high/high em jogadores com baixa stamina. Work rates ofensivos baixos nos atacantes ou defensivos baixos nos defesas centrais, geralmente são também más escolhas. Em função da sua formação, estilo de jogo e dos jogadores que você já tem, deve também gerir as cargas de trabalho de modo a que estas se compensem umas às outras. Por exemplo: dois defesas centrais com carga de trabalho defensiva baixa é proibido, mas se for só um já é aceitável.

Como Escolher os Melhores Jogadores de FIFA 18


 
 
 

Quarto Critério: Preço

É tudo uma questão de dinheiro
 

Então este não deveria ser um dos primeiros critérios? Você pergunta bem, mas partimos do princípio que intuitivamente você já deixou o Ronaldo ou o Messi de lado porque sabe que não iria ter moedas para eles. O que nós vamos fazer agora é o oposto. Em vez de escolhermos os jogadores mais baratos, vamos escolher os mais caros. Está confuso? Nós explicamos.

Chegado a esta fase é suposto você já ter uma ideia muito boa de quem quer para a sua equipa. Na pior das hipóteses, deverá estar apenas em dúvida entre dois jogadores. Qual deles irá você escolher? É provável que já tenha um favorito mas precisa de um último empurrão. Algo que o ajude a decidir em maior consciência. Procurou a opinião de alguém que já experimentou esses jogadores na esperança de saber se são efetivamente quem você procura? Fez mal. Esse não é o caminho. Não temos nada contra as opiniões de outras pessoas, mas basear a sua escolha em duas ou três opiniões é no fundo deixar que os outros decidam por si. O que você deve fazer é pedir a opinião a milhares ou milhões de jogadores. E como se faz isso? Pois, já acertou: pelo preço. Estava no título do capítulo, não era?

Num universo tão grande como o de jogadores de Ultimate Team, não há margem para erros. As más decisões são facilmente absorvidas pela imensidão de boas decisões. A comunidade não é estúpida e dedica muito tempo a um jogo que, passe a redundância, aprende a aprender. Não há melhor maneira de ela mostrar quão bom um jogador é do que deixá-lo marcado no seu preço. Ninguém gosta de pagar a mais por um jogador que acha que não vale a pena, e só alguns conseguem pagar a menos do que o seu preço de equilíbrio. Por outras palavras: está indeciso entre dois jogadores? Escolha o mais caro.

Antes que comece a apresentar argumentos para contrariar esta estratégia, deixe-nos enumerar algumas excepções a esta regra que você deverá conhecer:

➡️ E o resto?
Então quer dizer que basta escolher o mais caro e está tudo resolvido? Não foi isso que dissemos. Por alguma razão é que este é o quarto critério. Até cá chegar você já deverá pelo menos ter olhado para os atributos dos jogadores e selecionado aqueles que melhor se encaixam no seu estilo de jogo e tática. Este é apenas um fator de desempate que servirá acertadamente para a maioria das pessoas. Quanto mais parecidos forem os jogadores, maior será a taxa de sucesso desta estratégia.

➡️ Mas os preços não mudam?
Claro que sim. Por vezes jogadores que eram mais caros, tornam-se mais baratos que os seus concorrentes. Se reparar bem, isso acontece uma única vez no jogo, salvo raras excepções em que a forma do jogador na vida real pode desvirtuar estas oscilações. No fundo, isto é a prova de que a comunidade está atenta. O que acontece é que quando o jogo sai, os preços pagos pelos jogadores são de acordo com as expetativas iniciais. Só depois de algum tempo de aprendizagem e experimentação é que esses preços são corrigidos para cima ou para baixo, conforme o jogador se tenha revelado pior ou melhor que o esperado. Por essa razão, você só deve olhar para os preços dos jogadores como fator de escolha dos mesmos quando já tiverem passado pelo menos 15 dias sobre o lançamento do jogo. Em FIFA 18 isso foi muito notório com os jogadores lentos. Só após a comunidade perceber que a velocidade estava novamente OP é que esses jogadores foram penalizados no preço.

➡️ E a oferta não afeta o preço?
Sim, este é um fator também a ter em conta. Os preços são feitos pela comunidade mas também são definidos pela EA que pode colocar em circulação mais ou menos cartas de um jogador. Se meter muitas cartas, o preço desce. Se meter poucas, o preço sobe. Porém, este efeito só se reflete nos jogadores mais caros. Afinal, de quem acha que é a culpa de você não ter moedas para comprar um Messi ou um Ronaldo? Em jogadores muito caros ou em versões IF você não pode olhar para o preço como um espelho da qualidade do jogador. Ele está fortemente adulterado pela escassa oferta. Por muito bom que o Ronaldo seja, ele não vale 1.000 Dybalas, pois não?

➡️ E a popularidade? E as cartas raras?
As chamadas de atenção que fizemos até aqui têm importância moderada pois dificilmente alguma delas o levará ao engano. Porém, você deverá redobrar a atenção quando comparar dois jogadores com popularidades diferentes. O facto de um deles estar em forma ou de jogar num clube de muito maior destaque é suficiente para fazer subir o seu preço.

Em virtude das cartas raras e não raras terem valores de descarte bem distintos, há a tendência para se desvalorizar estas últimas mesmo quando se tratam de jogadores interessantes. Ou seja, passa-se o mesmo que o que explicamos para a popularidade dos jogadores.

Como Escolher os Melhores Jogadores de FIFA 18

 
 

Ao longo deste guia nós demos-lhe todas as ferramentas para você poder conferir analiticamente quais as melhores escolhas para a sua equipa. Porém, não quisemos desvalorizar o modo mais divertido de descobrir se um jogador é bom ou não: testá-lo. Jogue, divirta-se e se estiver a ter bons resultados com alguém, não mude só porque os números o contradizem. Afinal de contas, em equipa que vence não se mexe.

 
 

4 COMENTÁRIOS

  1. Rodrigo você se supera cada vez mais e de novo um brilhante artigo sobre como escolher o jogador ideal para seu time.
    Qualquer player que goste de UT e queira aprender tudo sobre essa modalidade é só consultar os inúmeros artigos aqui do site fifaUteam e a empresa canadense EA Sports já deveria qualificar seu trabalho ao longo desses anos como sendo o MELHOR e mais COMPLETO site sobre Fifa e Ultimate Team.

    Parabéns!!! Parabéns!!! Parabéns!!!

    Abracos

Comente

Please enter your comment!
Please enter your name here