Ponto Central: Thanks, Captain !

Ponto Central: Thanks, Captain !

Ponto Central é a coluna quinzenal de FIFA U Team da responsabilidade de Hugo Versiani.

Nela encontrará os temas da atualidade de Ultimate Team e não só, abordados de uma forma muito especial e objetiva.

Neste quinto episódio, “Thanks, Captain !”, o autor homenageia o capitão Steven Gerrard, que agora se despede do seu clube de sempre, analisando o seu histórico no modo de jogo FIFA Ultimate Team.

Ponto Central: Thanks, Captain !

Ponto Central: Thanks, Captain !

 

Em uma semana, após 17 anos, o gramado do Anfield se despedirá de um dos maiores nomes da história do clube e também do futebol internacional. Steven Gerrard, o eterno capitão e camisa 8 do Liverpool, é um dos poucos exemplos de jogadores que defenderam uma equipe durante vários anos. A Major League Soccer – MLS será o destino do atleta, que atuará pelo Los Angeles Galaxy. Por esse e outros motivos é que o dia 16 de maio de 2015 ficará marcado na trajetória dos Reds por várias homenagens.

Em tempos de CAM’s, CM’s e CDM’s como o Kroos, o Modrić, o Yaya Touré, o Pogba, o Vidal, o Schweinsteiger, o Matuidi e o James, o meio campista inglês do Liverpool não é mais uma das primeiras escolhas para compor uma equipe em FUT. Pela idade, alguns atributos não são como antes, por exemplo, o ritmo, mas a técnica do passe e finalização continuam aprimoradas. Mesmo com a defasagem na maioria dos atributos, percebo muitos FUTplayers utilizando-o (pelo menos no PC) em seu elenco na função de meio campista. Em conversas durante as partidas, numa rápida e informal pesquisa, dois são os motivos que se destacaram ao justificar o uso do jogador: excelente custo-benefício para iniciar o jogo e também pela tradição em utilizá-lo em outros modos do FIFA.

 

Ponto Central: Thanks, Captain !

 

Desse modo, fica mais fácil o entendimento sobre as modificações dos seis atributos do jogador (somente cartas ouro raras, sem update) durante esses cinco anos em FUT com a camisa dos Reds. A pontuação para ritmo caiu bastante durante estes anos, e por isso, não é por acaso que o jogador passou de CAM na temporada 10-11 para CDM em 14-15. O contrário aconteceu com o físico (antes era cabeceio), uma melhoria considerável em força, resistência e salto, já que este nunca foi um exímio finalizador pelo alto. O drible e a defesa também nunca foram sua especialidade, assim, sempre teve pontuações regulares para o quesito, apesar de em muitos jogos ser participante da primeira linha de defesa da sua equipe e ser o passe de qualidade para o contra-ataque. Finalização e passe: dois fundamentos que marcam a excelência desse jogador. Mesmo com a idade avançada (para os termos do futebol) seus números permanecem incomuns e reflexo da qualidade do jogador em questão.

 

ANO RITMO DRIBLE FINALIZAÇÃO DEFESA PASSE FÍSICO
10-11 82 79 89 82 93 70
11-12 80 77 87 80 89 70
12-13 71 77 86 73 86 75
13-14 67 77 84 73 86 75
14-15 63 75 83 70 85 81

Steven Gerrard em FUT entre 2010 e 2015


 
 

Para que você visualize melhor o que estou falando, assista os dois vídeos abaixo que justificam a primazia destes dois fundamentos realizados pelo Steve G, o terceiro jogador com maior número de partidas (707) pelo clube, perdendo apenas para o Carragher (736) e Callaghan (857). O primeiro, sobre finalização, é do canal Anfield Legend. O segundo, sobre assistências, é do LFC TV, ambos pelo Youtube.

 

Finalizações


 

Assistências


 
 

O Crystal Palace será o adversário do Liverpool no próximo sábado, mas não é desse confronto que irei falar, e sim de outros momentos da carreira desse jogador de acordo com o game. Desde a chegada de FUT em FIFA, em 2009/2010, Gerrard não teve conquistas gloriosas como num passado não tão distante, mas eis algumas fases que marcaram a carreira do jogador e a história do clube.

Sendo assim, o artigo de hoje irá contar a história do Gerrard nos campos virtuais do FUT. De 2009/2010 a 2014/2015 várias cartas foram lançadas para o jogador e algumas delas reservam momentos especiais. Excelente nas assistências, cobranças de falta, pênaltis, chutes de pequena e longa distância precisos e dribles conscientes são as características do meio campista completo do Liverpool e da English team.

Em FUT10, Gerrard entrou 49 vezes em campo, fez 12 gols (9 pela BPL) e o Liverpool terminou em apenas sétimo lugar na competição nacional, tendo o Chelsea como campeão da época. A foto do perfil do jogador em sua carta retrata a satisfação com o desempenho do time, apesar das notáveis pontuações na função de meio campo.

 

Ponto Central: Thanks, Captain !

 

Na temporada seguinte, em FUT 11, marcado por uma lesão nos adutores ao final da temporada 2010-2011, Gerrard ficou bastante tempo no departamento médico, participando apenas de 24 jogos, sendo 21 deles pela BPL. Mesmo assim o jogador ainda teve uma carta IF.

 

Ponto Central: Thanks, Captain !

 

Em FUT 12, referente a temporada 11-12, Gerrard teve o início da temporada marcado por uma lesão na virilha, tirando-o de vários jogos não só pelo clube, mas também pela seleção. Nesta mesma época, o Liverpool conquistou nos pênaltis contra o Cardiff City a Copa da Liga Inglesa rendendo-lhe cartas IF’s (figura 3 e 4 da esquerda para direita). A carta MOTM (figura 2, cor laranja) é resultado do hat-trick (quando um jogador faz três gols num mesmo jogo) do Derby Merseyside, entre Liverpool e Everton pela Premier League.

 

Ponto Central: Thanks, Captain !

 

Em FUT13, o Liverpool fez apenas 61 pontos na BPL e permanecendo em sétimo lugar na competição. Steve foi o jogador com maior número de partidas pelo clube, totalizando 46 jogos, sendo 36 deles pela BPL. Neste ano, o jogador teve duas outras versões de cartas, uma IF e a outra na TOTS da BPL.

 

Ponto Central: Thanks, Captain !

 

Em FUT14, ano da Copa do Mundo no Brasil, o Liverpool terminou em segundo lugar na BPL, tendo Suárez, Sturridge e Coutinho como símbolos da boa campanha juntamente com Gerrard. Nesse sentido, o rendimento na liga nacional rendeu ao capitão dos Reds uma vaga na equipe TOTS da BPL (figura 4, da esquerda para direita). Já a performance da seleção inglesa em solo brasileiro deixou a desejar. Sorteada para o grupo da morte o English Team perdeu para a Itália (1×2), novamente derrotada pelo mesmo placar na segunda rodada para o Uruguai e somente empatou (0x0) ao final com a desacreditada, surpreendente e primeiro lugar do grupo, Costa Rica. Em comemoração ao evento, FUT 14 ganhou uma versão chamada FUT World Cup, com cartas específicas para este modo do jogo (figura 3, da esquerda para direita). A IF desta época (TOTW 27, figura 2 da esquerda para direita) foi resultado do ótimo desempenho contra o Manchester United pela BPL (3×0), marcando dois gols de pênalti e participando da jogada do terceiro gol feito pelo Suárez.

 

Ponto Central: Thanks, Captain !

 

Atualmente, em FUT15, Gerrard tem por enquanto apenas a carta regular de lançamento do jogo. Seu time amarga a quinta colocação no campeonato nacional, garantindo vaga para a Liga Europa, mas almejando até as últimas rodadas uma vaga na UEFA Champions League. Se não tivermos algo comemorativo em relação à sua despedida do Liverpool, vejo que esta será a sua única carta na versão 2015 antes da mudança para a liga norte-americana. Por falar em MLS, aos que montam equipes baseados nesta liga, já podem reservar uma vaga no meio campo para o inglês, juntamente com Kaká e Cia.

 

Ponto Central: Thanks, Captain !

 

Como já perceberam, sou fã do futebol do Steve Gerrard. Talento, dedicação e liderança transformaram-no em um dos melhores da história. Dessa geração mais recente, não são muitos os jogadores com história semelhante, que tenham passado bastante tempo em um clube ou ter jogador apenas por uma equipe durante toda a carreira, por exemplo, o Xavi e o Iniesta (Barcelona), o Buffon (Juventus), o Casillas (Real Madrid), o Totti e o De Rossi (Roma), Schweinsteiger (Bayern Munich) e o Rogério Ceni (São Paulo. Tive que reconhecer mesmo sendo torcedor do Corinthians). Depois de citar estes nomes, a EA ainda me vem com cartas de heróis? Conta outra, por favor!

 
 
 
 
 
 

17 thoughts on “Ponto Central: Thanks, Captain !”

  1. Parabéns pelo artigo Hugo, mas faltou citar o Marcão do Palestra como exemplo de jogadores que jogaram toda carreira pela mesmo time!!!

    Abraços

    1. Hugo Versiani

      Obrigado, Celso! O “São Marcos” é um belíssimo exemplo também. E digo mais, campeão mundial em 2002 sendo convocado pelo seu trabalho em uma equipe nacional! Grande feito. Abraço!

      1. Thiago Alberto

        Nossa! por um momento pensei que vc estava a cometer uma gafe, Hugo. Quando li “Marcos…campeão mundial” já me lembrei da incrível falha dele na final de 1999 para o gol do Roy Keane…. Aí li o resto do texto e fiquei aliviado..rsrsrsrs, afinal o time da árvore de palmito nunca foi campeão mundial…hehehehe. Mas na seleção ele foi grande.

  2. Rogério Barbosa

    Parabéns pelo ótimo texto. Aliás, poderia virar uma coluna semanal hein, com os “Heróis”. Contando a história no FUT de Henry, Drogba, Terry, os que vc citou…

    1. Hugo Versiani

      Obrigado, Rogério Barbosa! Ótimo. A equipe UTeam analisará esta ideia. Abraço!

  3. PEDRO SILVA

    Prezado Hugo,

    Como sempre sua coluna é muito bem redigida e traz assuntos do momento. Claro, sempre com uma pitada de emoção, como todos nós brasileiros gostamos; e com perícia, típico de um analista do FUT, como o Rodrigo e o Silvio.

    Rapaz, tenho gostado de jogar umas partidas de FUT contigo e tive o prazer de vencer as últimas duas, pela primeira vez em umas 15 disputadas!

    O mais interessante é que quem me ajudou foi você mesmo! Não, não com gols-contra, kkkkk. Mas com dicas de ouro sobre como jogar melhor, como montar um bom time.

    Então, aqui vai a melhor e mais funcional dica do Hugo: sempre jogue com laterais ou com adiantados no FIFA 15. Os lançamentos fatais que o jogo proporciona trazem um bug difícil de evitar. Mas não impossível! Os laterais resolvem e muito bem! E olha pessoal aqui do U Team, é difícil vencer o rapaz aqui. Dá um “suador”!

    Em resumo, fico grato por me ensinar excelentes sugestões de jogo para o FUT, Hugo. Bora ver se emparelho contigo na divisão 3 das temporadas online. To suando pra subir da divisao 4 para a 3!!!

    1. Hugo Versiani

      Obrigado, Pedro Silva! É bom saber que sua experiência em FUT tem evoluído por meio das dicas e implementadas nas partidas online. Mas lembre-se: as dicas variam de acordo com o esquema tático e estilo de jogo de cada FUTplayer, não podemos generalizar. Espero encontrar-lhe na primeira divisão! 🙂 Abraço!

  4. Thiago Alberto

    Legal a matéria! Acho bacana o “amor a camisa” em que os jogadores atuam muito tempo ou quase a carreira toda em um mesmo clube. Gerrard tem meu respeito, além de ter jogado em alto nível durante anos.

    Hugo, aguardo um sobre o Totti, ícone do Roma, mais de 20 anos no clube que na minha opnião jogou muito!!.
    Deve ter varias cartas no Fifa…

    1. Hugo Versiani

      Obrigado, Thiago Alberto! Também considero demais essa característica e gostaria de ver mais no mundo do futebol. Pode esperar que teremos sim esse momento, inclusive citei o Totti ao final do artigo, que é outra interessante história de identidade com o clube. Abraço!

  5. Daniel Esmeraldino

    Parabéns mais uma vez Hugo, eu que não jogo o FUT há muito tempo, gostei bastantes das comparações, texto muito be escrito mais uma vez, abraços!

    1. Hugo Versiani

      Obrigado, Daniel Esmeraldino! Mesmo com tantos problemas no jogo, histórias assim me motivam a continuar jogando FIFA. Abraço!

  6. Bruno Sousa

    Oi Hugo, legal essa matéria.
    Gerrard é craque, sou torcedor do São Paulo e nunca vou esquecer da cobrança de falta dele na final do mundial de clubes em que Rogério Ceni a defesa mais importante da carreira.
    Gosto de montar equipes da MLS, estou esperando ele.
    Pelo menos ele ainda estará no Fifa. Digo isso porque sou muito fã do italiano Alessandro Del Piero. Fazia time italiano só por causa dele. Uma pena ele ter ido pra Índia. Enfim, esses como você disse, são os heróis.

    1. Hugo Versiani

      Olá, Bruno Sousa! Obrigado. Com certeza é um momento inesquecível para ambos jogadores e ainda bem que foi para um time e jogador brasileiro. Será um grande reforço para a liga. Outra referência bem lembrada por você que jogou bastante tempo pela Juventus. Abraço!

Comments are closed.