Breve História de FIFA Ultimate Team

100
Breve História de FIFA Ultimate Team

Rodrigo Lopes, o autor do site, sempre quis ter um espaço de maior proximidade com a comunidade e de maior liberdade de conteúdos. Com esta coluna mensal, irá finalmente ter a oportunidade de mostrar uma visão mais pessoal sobre o jogo e não só.


 

Breve História de FIFA Ultimate Team

Breve História de FIFA Ultimate Team

 

Muita gente que por aqui passa pede-nos a opinião sobre determinado assunto do jogo. Confiam sobretudo na nossa experiência, tão vasta quanto a longevidade deste modo de jogo. Sete edições diferentes de Ultimate Team passaram diante dos nossos olhos, e com todas elas aprendemos muito. Talvez já seja hora de também você conhecer a história de FIFA Ultimate Team.

 

Você lembra-se de a EA Sports ter os direitos de exploração da imagem da Liga dos Campeões ? Se não sabe quem é o Cafú ou o Buzz Lightyear, é provável que não se lembre. Aconteceu há quase uma década e durou apenas dois anos. Foi tempo suficiente para um primeiro esboço daquilo que viria a ser o modo de jogo mais famoso da história da franquia FIFA. Foi com o ‘UEFA Champions League 2006–2007‘ que nasceu Ultimate Team. Já nesta altura se chamava assim. É também desse tempo o favorecimento aos jogadores das consolas Microsoft. Apenas os proprietários de uma XBox 360 podiam testemunhar essa experiência da EA. Afinal de contas não passou disso mesmo: um teste. Os resultados não foram os esperados e a ideia foi abortada. Mas não para sempre.

A 19 de março de 2009, o Ultimate Team regressou. Para a esmagadora maioria era algo novo. Na realidade, as diferenças eram muitas pelo que estávamos mais perto de um nascimento do que de uma segunda vida. O crescente mercado de venda de itens de jogo e a necessidade de FIFA se inovar para se diferenciar da eterna concorrência, precipitou os acontecimentos. O potencial estava lá, bastava saber explorá-lo. Afinal de contas quem é que resiste à tentação de um jogo que alia um simulador com a sua paixão pelo futebol ? Não havia como falhar. Definiram-se as regras, afinou-se a mecânica de jogo e deu-se vida a Ultimate Team.

 

Breve História de FIFA Ultimate Team

 

A EA Sports sabia que tinha entre mãos um diamante por lapidar mas era necessário fazer as coisas de um modo sustentado. Não foi por isso de estranhar que o lançamento de Ultimate Team em FIFA 09 fosse feito através de um DLC (downloadable content) pago. Quem quisesse ser um jogador fundador, título que a editora atribuiu aos primeiros jogadores como forma de agradecimento, teria de pagar. O valor não excedia os dez dólares, algo que convenceu cerca de um milhão de jogadores a experimentar o novo e prometedor modo de jogo. Foi um número muito considerável de registos, tendo em conta que FIFA 09 caminhava para o fim. As expetativas foram tão largamente superadas que a estreia de Ultimate Team ficou mesmo marcada por algo que se viria a repetir ao longo de toda a sua história: os servidores não aguentaram a afluência de jogadores e o jogo crashou. Como vê, há coisas que nunca mudam.

Se pensa que o jogo era muito diferente do que ele é hoje, então está muito enganado. Já havia química, fitness, cartas de treino, contratos, estádios, categorias de jogadores, moeda e muito daquilo que você hoje ainda tem no jogo. Podia construir as suas equipas de sonho à custa das famosas transações no mercado ou através da compra de um dos três pacotes existentes: ouro, prata ou bronze. Não haviam torneios ou épocas, mas já podia jogar offline ou online. As bases do Ultimate Team são as mesmas. Apenas se foram adicionando novas funcionalidades e fazendo pequenas afinações.

 

Vídeo de apresentação do modo Ultimate Team à comunidade de jogadores de FIFA


 
 

A segunda versão de Ultimate Team não foi lançada de raíz com o jogo. Anunciada em dezembro de 2010 e apenas disponibilizada, através de um DLC, dois meses depois, continuou a ser um exclusivo para as plataformas Playstation 3 e XBox 360. A lealdade dos fundadores foi premiada com dois pacotes de ouro, algo que se viria a repetir ano após ano.

FIFA 10 trouxe algumas novidades a Ultimate Team que visaram torná-lo mais atrativo. A começar pelo preço, reduzido a metade. A loja passou também a contar com pacotes premium, com o triplo das cartas raras, e diversificaram-se os modos de jogar através da introdução dos torneios. FUT 10 sofreu muitas outras pequenas alterações, fruto da análise que a editora fez da versão do ano anterior. Um bom exemplo disso tem a ver com o que acontecia aos jogadores que ficavam sem contratos. Na primeira versão, a carta tinha de ser descartada, o que não fazia muito sentido. Em FUT 10, o jogador podia continuar a ser utilizado se lhe fosse aplicada uma carta de contrato. Foi também nesta versão que o Ultimate Team perdeu um pouco a imagem que tinha associada às cadernetas de cromos. Passou a ser possível armazenar um ilimitado número de jogadores, staff, equipamentos, emblemas e estádios e foi criada a famosa seção ‘watch list‘, que permitia o fácil rastreio das cartas nas quais fosse mostrado interesse.

Porém, não foram estas as maiores novidades do jogo. Para FUT 10 estava reservado algo que iria mudar o jogo para sempre: as cartas Em Forma. Foi neste ano que foram lançadas as primeiras equipas da semana. Elas tiveram o dom de tornar o jogo dinâmico, estreitando a distância entre o futebol real e virtual, e aumentaram as possibilidades de melhoramento das equipas tornando assim o jogo interessante ao longo de toda a época.

A mais surpreendente inovação foi no entanto outra. A agora em coma FUT Web App foi muito bem recebida na altura e fez aumentar exponencialmente o número de transações no mercado de transferências pois graças a ela Ultimate Team deixava de ser um jogo de consola. Em qualquer lado onde houvesse um PC, era possível melhorar a nossa equipa.

 

Vídeo de apresentação do modo Ultimate Team em FIFA 10


 
 

Após dois meios anos de testes, a EA tomou a decisão mais inteligente da história de FIFA Ultimate Team. Pelo menos para os seus bolsos. Percebeu que ao tornar o jogo gratuito conseguiria atrair muitos mais fãs, muitos deles consumidores de pacotes. Foi isso que aconteceu. O jogo foi disponibilizado novamente através de um ficheiro descarregável mas muito mais cedo do que nos anos anteriores. Afinal de contas, quanto mais cedo fosse lançado, mais pacotes se vendiam. Novembro de 2010 marcou o início dessa aposta coroada de sucesso. O número de jogadores triplicou e as receitas acompanharam o seu crescimento. Era o fim de uma era de culto de Ultimate Team. Todos podiam agora formar as suas equipas de sonho que passavam muitas vezes por incluir um imparável Messi na ala direita (primeiro jogador a atingir quatro cartas TOTW) ou por uma máquina de golos formada pela dupla Drogba e Wayne Rooney.

O realismo dado ao jogo no ano anterior com as cartas TOTW, agora diferenciadas das correspondentes NIF pela sua cor preta, prosseguiu em FUT 11 com a atualização das cartas dos jogadores transferidos para outros clubes, nos mesmos moldes em que ainda hoje acontece. Deste modo multiplicavam-se as combinações de equipas possíveis, prendendo os jogadores a Ultimate Team por mais alguns meses.

Mas para quê montar equipas de sonho se depois não dava para mostrá-las aos amigos ? A EA Sports respondeu a esta pergunta com duas novidades. A primeira, alargando os modos de jogar aos desafios com os amigos. Pela primeira vez na história de FIFA Ultimate Team, você podia escolher contra quem queria jogar online. Se dúvidas houvessem sobre o valor das equipas, o novíssimo Leaderboards desfazia-as. Foi a maneira encontrada pela EA para espicaçar alguns jogadores que levavam o seu orgulho muito a sério e ao mesmo tempo para dar alguma transparência ao jogo.

 

Vídeo de apresentação do modo Ultimate Team em FIFA 11


 
 

2011 marcou a história de FIFA Ultimate Team. Foi nesse ano que ele se afirmou definitivamente. Ao contrário do que aconteceu nos anos anteriores, desta vez foi lançado logo de início, integrado no próprio disco de FIFA 12. Pela primeira vez, não era necessário descarregar um ficheiro para ter acesso a Ultimate Team. Ele passava a pertencer ao jogo, a fazer parte dele. Este foi um importante passo para que muitos novos jogadores o experimentassem. Mas a EA Sports queria mais. Alargou o Ultimate Team à plataforma PC, atingindo assim os 6,7 milhões de jogadores em todo o mundo.

Uma das chaves para o sucesso esteve na visão que a EA Sports teve em saber como viciar a sua audiência. Perceberam que os jogadores de Ultimate Team não eram jogadores normais. Eles procuravam aliar os seus conhecimentos e paixão pelo futebol real ao jogo. Foi por isso que a editora decidiu introduzir novas cartas Em Forma. E não foram poucas. Foram muitas. Primeiro foram as cartas TOTY, azuis, que destacavam os melhores jogadores do ano. Depois foram as cartas TOTS, também azuis, dedicadas aos melhores da época. Saíram seis. Dividiram a Europa em Norte e Sul, deram duas aos mais consistentes e atribuíram as outras duas às ligas de Espanha e de Inglaterra. Pouco depois surgiram as laranja. Messi que até já tinha ganho uma destas cartas MOTM, foi ainda presenteado com a melhor carta da história de FIFA Ultimate Team. Mais uma vez azul, mas com stats imbatíveis. Afinal, para fins solidários vale tudo. FUT precisava de ainda mais cor, e antes de chegar FIFA 13 estreou-se outro tipo de cartas: as iMOTM. O Euro 2012 apadrinhou a sua estreia, naquela que viria a ser uma vida conturbada. Passaram de roxas a verdes e em FIFA 15 como que desapareceram. Quem surgiu pela primeira vez foram as famosas cartas UP, conferindo ao jogo uma atualidade com o mundo real.

Com tantas cartas novas, o jogo tornou-se ainda mais complexo. Como admitiu o próprio produtor Marcel Kuhn, “toda a gente sabe sobre o que trata o modo carreira mas explicar Ultimate Team numa frase é quase impossível“. Foi a altura ideal para surgirem websites especializados no assunto, como o nosso FIFAUTeam ou a popular base de dados FUTHead, que embora na altura já existisse tomou uma aparência muito mais profissional durante o período de vida de FUT 12. Foi também neste ano que passou a ser possível participar em mais do que um torneio ao mesmo tempo e receber notificações instantâneas sobre o resultado de um leilão em particular.

 

Vídeo de apresentação do modo Ultimate Team em FIFA 12


 
 

O início de FUT 13 aconteceu na Web App alguns dias antes do jogo chegar às prateleiras das lojas. E não podia ter sido de pior forma. A história de FIFA Ultimate Team ficará para sempre marcada por este momento. Uma falha de segurança permitiu que fosse possível adquirir moedas de modo ilimitado. A economia do jogo estava comprometida e a EA Sports mostrava verdadeiramente pela primeira vez que não era suficientemente competente para blindar o jogo a batotas. Posteriormente, situações deste tipo viriam a repetir-se várias vezes debilitando a imagem de um jogo que, até à altura, se aproximava da perfeição.

Apesar de tudo, 2012 até foi um bom ano para Ultimate Team. A introdução do modo épocas, repartido por cinco divisões, captou jogadores que até à altura preferiam jogar o modo Seasons. Órfã de torneios e de jogos um para um, a comunidade acolheu com muita satisfação esta novidade responsável pelo aumento da competitividade do jogo e pelo crescimento do número de jogadores até aos 11 milhões. Captar mais público continuava a ser a palavra de ordem nos corredores dos escritórios da gigante norte-americana. Aumentou-se a publicidade do modo de jogo, através por exemplo do lançamento das cartas de jogadores profissionais, criaram-se tutoriais dentro do mesmo e premiou-se com pacotes de ouro a aprendizagem das recém-criadas Tarefas do Manager. Ultimate Team não parava de crescer.

Mais público era sinónimo de mais pacotes vendidos e consequentemente de mais lucro. Era preciso tornar a compra de pacotes ainda mais fácil e a EA provava que, pelo menos neste aspeto, não estava distraída: substituiu os antigos métodos de pagamento pelos muito mais cómodos FIFA Points. Era o fim de uma era. E dos Bid Tokens, também.

A palavra globalização ganhou um novo sentido em FUT 13. Já era possível gerir uma equipa no PC, através da Web App, mas agora passava a ser possível fazê-lo também num dispositivo móvel. Ultimate Team podia ser jogado literalmente em qualquer lado. Primeiro foi a vez dos equipamentos com iOS. Depois dos dispositivos com Android. E um ano mais tarde, finalmente, FUT chegou ao Windows Phone.

A história de FIFA Ultimate Team é feita de grandes inovações mas também de contínuos melhoramentos anuais. Foi em FIFA 13 que, por exemplo, passou a ser possível defrontar a equipa da semana ou resgatar itens do catálogo da EAS FC. Os menus intuitivos e modernos vieram também para ficar.

 

Vídeo de apresentação do modo Ultimate Team em FIFA 13


 
 

2013 viu nascer as consolas de nova geração. E com elas um acordo entre a EA Sports e a Microsoft que dava aos jogadores com XBox a possibilidade de jogarem, em exclusivo, com alguns dos melhores futebolistas da história. Se tivessem moedas para isso, claro. Caso contrário podiam sempre vê-los no papel de adversários. As lendas foram muito bem aceites pela comunidade, de tal modo que não se perspetiva o fim deste acordo para breve. Os jogadores das outras plataformas terão de esperar. Ou comprar uma XBox.

O outro grande anúncio para FUT 14 foi batizado de ‘Estilos de Química‘. Efeito placebo ou não, os jogadores passaram a poder definir quais os atributos bonificados pela química. Esta novidade foi muito popular na altura mas à medida que os anos passam promete vir a ter tanta importância como a escolha do capitão da equipa. Ou seja, virtualmente zero.

FUT 14 ganhou nas possibilidades de personalização, com a definição dos números das camisolas e dos marcadores dos lances de bola parada, mas também na diversidade dos modos de jogo: os Online Single Match regressaram e as épocas foram alargadas a 10 divisões. Ou seja, vencer a primeira divisão passou a ser um feito aparentemente mais merecedor de comemoração.

Como reflexo da sua maturidade, este foi o ano em que menos alterações significativas foram introduzidas no jogo. Cumprindo a velha máxima de que em equipa que ganha não se mexe, a produtora cingiu-se sobretudo a pequenos ajustes. Redesenhou o cálculo da química, criou as cartas de ligas do manager, melhorou os filtros de pesquisa permitindo a procura diretamente pelo nome do jogador e reformulou as regras dos upgrades para jogadores com cartas Em Forma. Mais importante ainda: aboliu as cartas de táticas e a moral dos jogadores. O jogo ficou mais clean e a comunidade agradeceu. Já eram mais de 20 milhões.

 

Vídeo de apresentação do modo Ultimate Team em FIFA 14


 
 

A crescente popularidade de Ultimate Team foi fortemente abalada em FIFA 15 por uma pseudo-guerra entre a produtora e os vendedores de moedas e de autobuyers. Os efeitos colaterais, esses sobraram para o consumidor. A Web App e a Companion App encerraram portas antes que meia época estivesse sequer cumprida. Já o mercado ficou irremediavelmente afetado por uma inflação nunca antes vista e pela introdução dos Price Ranges, que mais não fizeram do que extinguir muitas das melhores cartas. Quando se descobriu nova falha de segurança, muitos vaticinaram a morte deste modo de jogo mas FUT ainda está para durar.

O empréstimo de jogadores, através do catálogo da EAS FC, foi uma das novidades de FIFA 15. Toda a gente pôde experimentar jogar por cinco jogos com as maiores estrelas da história do futebol, como Pelé, Messi e… Sturridge. A quantidade de jogadores com qualidade aumentou significativamente, não só devido às novas lendas que se juntaram às anteriores mas também como resultado dos constantes lançamentos de cartas Em Forma. Nunca na história de Ultimate Team tinham sido lançadas tantas Happy Hours e cartas coloridas. Tantas que até conseguiram inventar novos tipos de cartas IF: os Heróis e os FUTTIES. A adição destas cartas roxas deixou transparecer uma clara e preocupante falta de ideias. É importante que o caminho de Ultimate Team continue a ser traçado por passadas firmes e seguras e não por sucessivas experiências. Quanto às rosa, só o tempo dirá se foram uma boa aposta ou não.

Foi em FIFA 15 que o atributo cabeceamento foi substituído pelo físico e que se introduziram as épocas amigáveis. Jogar com os amigos passou a ser mais agradável e desafiante, graças à implementação de um histórico dos confrontos entre ambos. Para quem estava habituado a projetar equipas em squad builders, a EA Sports ofereceu uma alternativa: os Concept Squads. Diretamente a partir do jogo, passou a ser possível construir a equipa de sonho mesmo que não tenhamos moedas para comprá-la. Copiar, partilhar e gostar de outras equipas que não as nossas foi uma das novas funcionalidades menos notadas pela comunidade. Mais visíveis foram as novas instruções aos jogadores que prometeram muito mas que cumpriram pouco. Afinal de contas, para que serve algo que não pode ser salvo ?

 

Vídeo de apresentação do modo Ultimate Team em FIFA 15


 
 

Ultimate Team ganhou novo fôlego com FIFA 16. Ciente dos erros cometidos no passado, a EA decidiu reformular o mercado a partir do zero. Entre outras consequências positivas, mais nenhuma carta voltará a expirar. Ops… ainda não chegamos lá, certo ? Então vai ter de estar atento ao nosso site para saber mais sobre este tema.

Espero que tenha gostado desta viagem no tempo pela história de FIFA Ultimate Team. Faça as perguntas que quiser (‘quando é que o handicap começou?’ e outras questões parvas serão apagadas sem apelo nem agravo) e partilhe os seus melhores momentos nestes seis anos de jogo. Deixemos por um momento as coisas más do jogo e falemos das boas. O momento ainda é de esperança.

 
 

 
 
 
 
 
 

Deixe um comentário

100 Comentários em "Breve História de FIFA Ultimate Team"

Notificação de
avatar
2500
Ordenar por:   mais recentes | mais antigos | mais votados
RUFIX
Guest

Rodrigo, comecei a jogar fifa ultimate agora com o fifa 15. Com a chegada do 16 perco todo o elenco do 15, tenho que começar do zero, desculpe se a pergunta é meio infantil, mas tenho 39 anos e não tenho amigos que jogam ultimate. Se quiser pode responder apenas no meu e-mail. Mas se puder continuar com os jogadores do 15 favor me explicar. Obrigado. Rufix.

Caio Alexandre
Guest

Rodrigo, parabéns pelo artigo. Sou mais um que pensa que este deve ser um artigo fixo do site. Aliás, parabéns pelo site em si. Comecei a jogar FUT 12, mas só tomei gosto mesmo em FUT 13, na mesma época em que conheci o site. Com certeza o site fez grande diferença no meu entendimento sobre FUT. Todo início de “Temporada” de Fifa eu venho até aqui para buscar dicas sobre os times baseados nas ligas.

Voltando ao artigo, senti muita vontade de jogar as versões de FUT que não joguei, mas isso é algo impossível. Muito bacana, poder ver a evolução do modo e desfrutar dessa pequena nostalgia. Lendo os outros comentários também. Algum colega acima falou sobre o FIFA 98. Joguei muito este FIFA, com Romário e Edmundo no ataque da seleção brasileira. Jogue bem depois do lançamento, pois nasci em 94 e também não pude acompanhar as versões anteriores de FIFA.

Uma outra alteração que senti muita falta em FUT 15 foi do pack de prêmio, quando campeão da primeira divisão. Não sei se em FUT 14 já era assim, pois não venci a primeira divisão nesta edição, porém lembro que no 13, sempre que fui campeão da primeira divisão, recebia meu pack. Os packs com itens inegociáveis também foram alterações chata e ao meu ver desnecessárias. Influenciaram em apenas alguns jogadores que com muita paciência e tempo, tentaram burlar mais o sistema.

Grande Abraço !

PEDRO SILVA
Guest

Caro Sìlvio Teixeira,

Quero agradecer de coração a dica sobre como “quebrar” a dificuldade em vencer partidas determinadas pelo “destino” a fazer com que ‘tenhamos de perder’.

Três delas estão sendo fundamentais pra mim voltar a subir nas temporadas…

1. Sentir no jogo desde o início se o programa está “contra nós” e tomar medidas…

2. Mudar o estilo de jogo conforme percebemos a “conspiração” da máquina, e…

3. Passes curtos e bem direcionados; também chutar pro gol só quando a chance é bem real!

Obrigado!

Silvio Teixeira
Editor

Valeu Pedrão, a gente tem de encontrar maneiras de passar por cima da programação. Sabe que com isso eu passei a melhorar bastante meu drible? Porque eu chutava muito de diversos pontos de fora da área, o que é muito bom mas que nestes jogos safados nunca entra nada, assim quando percebo que o jogo está de sacanagem deixo de chutar mesmo quando se chutaria facil, mas driblo e driblo entrando na area. Perdia muitas bolas mas aos poucos começou a melhorar bastante meu drible curto e hoje tenho um jogo melhor neste sentido. Claro que se o jogo é normal ainda dou as patadas de longe mas nestes casos ai, só mesmo quando a chance é absurdamente real, e mesmo assim eles ainda fazem uns milagres.
Abraço

Khaoz
Guest

A versão de 2009 era disponível pra Playstation 3?

Khaoz
Guest

Pessoal, só pra esclarecimento, na edição de 2009 já tinha cartas de bolas, uniformes, escudos, cartas de lesão, estilo de entrosamento, comissão técnica e liga de técnicos? se não, em q edição foram sendo adicionados?

E além das cartas de táticas e a moral dos jogadores, tem mais algo que foi excluído do modo?
obg pela ajuda…

Ricardo
Guest

Khaoz, jogo desde o 13 apenas, mas assim como o Rodrigo citou no artigo as cartas de entrosamento e ligas de técnicos entraram a partir do 14, as outras ja tinham. Lembro também que no 14 passou a ser possível utilizar o segundo ou terceiro uniforme como primeiro e vice versa. No 15 incluíram os informes das seleções.

Caio
Guest

Em 2010, pelo que me lembro ja tinha tudo isso, menos estilo de entrosamento e liga de técnicos. E o modo de jogo Amistoso Online, onde voce joga contra um player qualquer online (nao necessariamente seu amigo), foi e voltou umas 3 vezes ao longo dos FIFA’s. Em FIFA 12 era amplamente usado, pois naquela epoca, os premios por vencer torneios eram muuuuuuuuuuito baixos, tipo 2000 coins. Agora, premiando a 15 k um titulo de primeira divisão, é muito dificil achar alguém na modalidade Amistoso.

Caio
Guest
Bom, tenho 3 comentários a fazer: 1 – PARABENS, pelo artigo, Rodrigo. Pra quem está desde o comecinho como eu, eh muuuito legal ver como as coisas aconteceram e evoluíram. Eu acompanhei diariamente cada uma dessas mudanças. Eu estava lá desde o começo vivenciando as maravilhas e os problemas (no começo quase nenhum) deste modo de jogo. Vi namoros de amigos meus acabarem pq os caras nao queriam mais nada da vida alem de jogar e jogar e jogar pra conseguirem coins e comprar jogadores hahahahahaha. Enfim. Foi realmente muito legal ver isso tudo. Achei que ficou faltando falar sobre o problema fatal de FUT 11, quando o jogo congelava no momento da visualização do time adversario, e quem saísse primeiro, perdia a partida e tomava NF. Por este motivo, parei de jogar o FIFA 11 em meados de fevereiro, vendi o disco e o time inteiro e voltei pro FIFA 10. 2 – Já venho falando há algum tempo sobre a molecagem e a falta de educação, em especial dos brasileiros em FIFA. Realmente tem muuuita coisa que o Padilhao falou, senao tudo o que falou, que poderia ser aplicado. Mas se eu pudesse apostar, apostaria que nao será nada disso modificado e talvez seja até piorado, pois a cada ano, a EA coloca, por exemplo, mais comemorações provocativas no jogo, como eh o caso do Calm Down e do Eu To Aqui do CR7. Particularmente, nao entendo pra que fazer isso. Eu confesso que sou profundamente abalado pelo lado psicologico, quando vejo que um adversário esqueceu o fair play na casa do amante da mãe dele e está tentando só me provocar do que jogar a partida. E acho que passar raiva com o jogo, depõe contra o mesmo, pois ninguem quer iniciar uma tarefa que sabe que vai ficar extremamente nervoso. A EA deveria tentar deixar o jogo mais leve e coibir as provocações. 3 – Concluindo, infelizmente o PR é um paliativo necessário até que se resolva a questao dos AB e dos trapaceiros. Quando a EA estiver 100% certa de que as trapaças e os vendedores desvairados de coins acabaram, aí sim deverá retirar o PR e deixar que o mercado caminhe por si só. Como sempre foi em outros FIFA e era simplesmente sensacional começar com uma equipe de bronze e ir trocando os caras pouco e pouco, paulatinamente. E tinhamos um Messi a… Ler mais »
Thiago Alberto
Guest

KKKKK. Caio to rindo muito aqui… fico imaginado o cara fazendo um gol em você e mandando um Calm Down, tu deve ficar muito puto…hahahahah.. Brincadeiras a parte, concordo que incomoda ficar esperando os pauses do jogo e tal, mas não concordo sobre as comemorações… como essas que voce citou são show de bola, você não pode levar tudo a serio, Caio!! As vezes penso como o futebol tá chato por falta dessas coisas… me lembro do viola que imitava porco contra palmeiras, paulo nunes que colocava mascaras, as dancinhas dos meninos da vila na epoca de robinho e neymar e ganso, marcelinho rodando os braços e chamando a camera, romario e suas camisetas embaixo do uniforme com frases e criticas…enfim..muitas coisas legais que foram sendo extintas e deixam esse esporte chato, quase mecânico. Não pode ser assim, futebol sempre foi irreverente e criativo, ainda os nossos jogadores brasileiros. A fase é tão ruim pra nós que nem isso podemos nos dar ao luxo de fazer…

Caio
Guest

hahahahahahaha, cara, fico exatamente do jeito que vc imaginou ou pior ainda. Confesso que quando passei a estudar melhor o motivo pelo qual meu time “desliga” e toma uns gols idiotas, também passei a aceitar melhor tudo o que o jogo inclui, inclusive as comemoraçoes. O novato que ta ali tomando uma pressao absurda, tremendo nas bases e do nada consegue fazer um gol sem nenhuma explicaçao, fica loucamente feliz e extravaza zuando o adversario. Hoje em dia eu penso: vai la, filho, seja feliz. Daqui uns dias voce nao vai mais ser o novato. E vai ter outro novato fazendo isso com vc hahahahaha.. Só que tem uma coisa: coitado do cara que me zoa na comemoraçao e toma a virada. Posso garantir que 90% desconecta. Ele simplesmente nao rela mais na bola. Ontem mesmo cheguei a driblar o goleiro do cara, parei na linha e voltei todo mundo driblando até chegar no meu goleiro de novo. Ele desconectou na hooooooraaa hahahahahaha. Faz parte, certo? 😉
E sim, o futebol era muuuito mais legal. O que dizer de caras como o Vampeta que popularizou o apelido de Bambis pros Sao Paulinos? hahahahahhah Sensacional.. de fato, hoje em dia o futebol está chato tanto dentro de campo, quanto nos bastidores. É so roubalheira e jogador apadrinhado que tem vez 🙁 .

mboitata
Guest

O modo viciante de jogo que já me fez virar noites no trading (que só peguei o jeito no fifa 15 dai ea veio e tabelou). Que venha o 16.

Emerson
Guest

Excelente artigo Rodrigo! Comecei a jogar FUT a partir do 13 e sempre tive curiosidade em saber como foi sua evolução. Vc relatou muito bem a história e deu pra ter uma boa noção.
Curioso que sou, levantei as orelhas igual cachorro quando li “…. a EA decidiu reformular o mercado a partir do zero. Entre outras consequências positivas, mais nenhuma carta voltará a expirar…” Como assim? Maldade sua fazer isso com os leitores! Lançou a isca certeira para me prender neste website pelos próximos meses! kkkkkkkkkk. Abraços!

Khaoz
Guest

Rodrigo, estou planejando um canal sobre fifa, e queria saber se vc(s) me dão a permissão de fazer um vídeo em cima desse post seu, com todos os devidos créditos a vc e ao site? obg.

Ricardo
Guest

Ótimo artigo Rodrigo!
Muito o interessante, pude conhecer a essência do FUT, já que comecei no FIFA 13 a aproveitar este modo extraordinário e viciante! Lembrei-me de quando o iniciei, sem saber nada, construindo apenas um time de brasileiros para se divertir e quando me arriscava no trade apenas tinha prejuízo pois não sabia nem dos 5% que descontam nas vendas. Mas no fim ainda formei um time bom depois de conhecer este site.
No 14, fui sem cometer erros e pude montar o time que sonhava, aplicando e adaptando as dicas de você e sua equipe.
Por fim o 15, já estava desanimando com os preços absurdos ocasionados pela inflação, pois não compro points nem coins, e com trade já estava difícil alcançar os preços, ainda barraram o web APP, apenas acessando pelo console não ia dar!
Então deixo minha opinião sobre os price ranges, mesmo gostando e conseguindo lucros com trade, para minha plataforma (Xbox Onde) foi muito bom e estou satisfeito com a solução, pois consegui formar o time que queria e do jeito que estava não iria dar!
Abraços!

Fabio
Guest

Até um tempo atrás nao acreditava muito em handicap… Mas fala sério, é nitido que tem jogos onde o lado negro da força aparece… rsrs

Khaoz
Guest

Que belo artigo, fiquei admirado lendo. Parabéns!!!

Luke Leone
Guest

Caro Rodrigo, parabéns pelo artigo, uma restrospectiva fantástica do FUT que me fez lembrar de bons momentos vividos no passado. Obrigado.

Padilhão
Guest
Concordo com o Hugo Versani que este post deve ter lugar permanente e ser atualizado… Muito bom! Aproveito pra falar de umas coisinhas do FUT15 que poderia ser arrumadas para o FUT16 … (Não é Handicap) É a ‘Catimba’ . Ou eu só jogo contra argentinos ou todos devem ter passado alguma raiva destes momentos que irei destacar (PS4) – Poderia não ter mais no começo da partida a formação dos times passando no rodapé… porque se tem a imagem com as cartas e a formação, química e tudo mais enquanto carrega a partida, não entendo a necessidade de passar novamente, alias, isso faz com que o mapa tático não apareça por um tempo (suficiente pra perder gol ou até levar) resumindo, atrapalha! – Pra que 3 pausas permitidas durante a partida? só para aqueles adversários chatos ‘catimbeiros’ ficarem segurando o jogo, quem joga certinho sabe que no maximo 2 pauses são usados, na maioria 1. – Sobre o pause, 30 segundos ? como eu falei serve pra aqueles adversários chatos segurarem o jogo, te mata um ataque, aperta por exemplo quando voce chutou pro gol e o goleiro rebateu, 20 segundos seria mais que suficiente. (alguem pode me contrariar, mas a maioria usa a pausa pra zoar mesmo) – Pra que aquele espaço de tempo chato no intervalo que as equipes estão saindo do campo e voce aperta X e aparece sua ‘setinha’ verde e o adversário fica esperando… – Depois disso mais 30 segundos em que o adversário principalmente se esta ganhando deixa você fritando, cozinhando, etc… – Pra que 3 replays do Gol. ( se voce quer ver mesmo o gol no final da partida vai la e vê quantas vezes quiser nos melhores momentos) Serve apenas para a ‘catimba’. – Depois dos 3 replays ainda aparece em destaque quem marcou o gol e fica mais um tempinho para ‘catimba livre’. – As vezes parece que eu estou jogando LIBERTADORES FUT15 de tanta ‘catimbagem’ ainda mais quando tem aqueles carrinhos monstros frontais que levanta o jogador 2 metros mas não é falta pq foi de frente. – Poderia ter a ‘suspensão automática’ pelo terceiro cartão amarelo. assim como tem para o vermelho (para fins de realidade no game). – Poderia aparecer o uniforme completo enquanto você esta pareando com o adversário e não apenas a camisa, nem todos player’s jogam com uniformes de equipes famosas e aparecendo… Ler mais »
Daniel b.
Guest

concordo com tudo que tu disse!em alguns casos tu acaba te desconcentrando no jogo por causa dessa catimba,falta de educação…mas eu definiria de outra forma: criancisse ,coisa de moleque…

Padilhão
Guest

vdd. essa é a questão , irrita e desconcentra.

André
Guest

Padilhão, a formação dos times no rodapé é possivel retirar. Em opções acho que está como rolagem automática. Basta vc escolher não que não aparecerá.
Quanto aos pauses e demora, realmente, tem muito cara chato. As vezes fico pensando que é cara que não faz nada da vida e tem tempo pra ficar esperando.

Padilhão
Guest

Obrigado André, vou fazer isso. Troquei de plataforma recentemente e não sabia.
Poisé, é muito chato mesmo, irrita demais. Vamos esperar para FUT16 uma ação da EA sports, Tomará!

André
Guest

Uma coisa que tive experiência esse FIFA e não farei no próximo é comprar coins.
Assim como a maioria dos que jogam FUT sempre tive o sonho de jogar com Messi e CR7 porém não tenho tempo e nem muita paciência para o trade, então resolvi “comprar com dinheiro” estes jogadores. Fiz isso e hoje possuo coins o suficiente para montar o time top que quiser no jogo bem como esbanjar na compra de packs.
Digo que não farei mais isso pois parece que o meu objetivo no jogo acabou. Ter dinheiro para ter qual jogador quiser é meio que frustrante pois tem tanto jogador bom que vc não sabe com qual time jogar. Talvez essa sensação tenha sido pelo fato de ter comprado as coins e não de ter ganho através do trade.
No próximo não farei isso, não comprarei nem coins nem Fifa points e vou jogar “na raça”, ainda que fique um bom tempo com um time meia boca.

Luke Leone
Guest

Complementando André,
A grande satisfação que este modo de jogo trazia e espero que na sua nova versão possa trazer novamente, é a de poder iniciar um clube do zero e através das partidas e negociação dos jogadores (hoje já nem tanto) ir crescendo e melhorando.
Apesar de não ser contra comprar moedas (cada um faz uso de seu dinheiro da forma que melhor lhe convém) sempre defendi ferrenhamente o TRADE por achar que este é o método oficial disponibilizado pelo desenvolvedor para enriquecer o clube. O TRADE no jogo hoje é um mero coadjuvante, mas tenho esperança que no futuro se possa adquirir os melhores jogadores sem a necessidade de comprar coins ou Fifa Points.
Abraço

André
Guest

Luke, concordo com o que vc diz.
É como eu disse, para mim o 15 perdeu a graça por esse motivo. Mesmo assim vou continuar jogando até sair o 16.
É legal fazer trade mas precisa de muita dedicação e foco. No início do 15 eu consegui fazer um bom dinheiro mas não a ponto de conseguir os tops do jogo.
Para o próximo com certeza irei focar mais no trade, pelo menos para ter um time bom.

Luke Leone
Guest

Oi André, eu sempre considerei o Trade como uma parte divertida do jogo e reservava parte do meu tempo diário destinado a jogar games a ele. Com as inúmeras técnicas, muitas delas aprendidas aqui na coluna do Sílvio era possível montar boas equipes das diversas ligas sem precisar gastar mais que o investimento inicial da compra do jogo. Com um pouco de tempo e sorte se consegui rapidamente comprar bons jogadores já que apenas jogando isso era bem mais demorado.
Abraço

veesoo
Guest

Curioso é ver que o trade estava lá, desde a primeira versão.
Ou seja, foram mexer (e às pressas) justamente com um dos principais conceitos, com um dos principais componentes da “alma” do jogo. Não podia dar muito certo mesmo…

Thiago Alberto
Guest

Concordo Veeso, porém foi necessário devido as trapaças.. Tomara que no fifa 16 volte ao que era antes. Se não voltar, que permaneça com price range até a galera aprender a deixar de lado as trapaças..

Caio
Guest

+1

Veesoo
Guest

Mas é exatamente disso que estou falando. O combate à alta dos preços não precisa (e nao precisava) ser feito necessaria e exclusivamente através do PR. Basta (e bastava) caprichar um pouco mais para nao comprometer a essência do fut e a diversão dos jogadores.
Só pensaram no seu lado e “jogaram o bebê junto com a água do banho” (rsrs)

Thiago Alberto
Guest

Veeso, Entendo. Sem desmerecer, mas no universo mobile, não há tantos adeptos assim para que justifique o PR, mesmo assim só pela obrigatorietade de você ter que logar em um outro serviço que nada tem a ver com o FUT/Origin, como é o caso de ter que logar no seu perfil do Facebook para jogar, de alguma forma imagino eu, foram melhorada as criptografias de segurança, pode ser até um teste do qual não sabemos que a volta de um possível web app em versão com login duplo, com origin e facebook, quem sabe? Qual seria o propósito de fazer esse login duplo e atrelado, que não seja pra coibir a ação de farm coins? Pensa bem, as vezes o mobile pode ser a plataforma de teste para que as tais mudanças prometidas cheguem aos consoles e futuramente ao PC, que deve ser a mais dificil de ser combatida, pois nos consoles o PR resolveu grande parte das trapaças, pelo menos no Xbox.

Veesoo
Guest

Mas veja outra coisa curiosa, TA.
No mobile, nunca foi implantado o Price Range. No entanto, CR7 e M10, que custavam 15 KK no inicio do ano, há mais de um mes vc encontra por menos de 1 KK. A única mudança foi a obrigatoriedade de logar via face para ter acesso ao mercado de transferência.
Os coin sellers continuaram ativos, assim como, imagino, a maioria das trapaças.
Com um pouco de tempo, atenção e sorte, ainda é possivel fazer muito $ no trading para a compra de seus jogadores.
Aquela euforia das HH continua presente. Esse último TOTS EAS foi uma farra, com as cartas custando 1/5, 1/10 dos valores da semana de lançamento.
Qual é/foi a mágica??!! Te asseguro que o PR é que não foi!
Fazer trading continua divertido.
Já, jogar on-line, nunca esteve pior…….

Thiago Alberto
Guest

A idéia principal do FUT é exatamente essa, André. O fantasy game proporcionado por conseguir os jogadores na raça é o que nos motiva a continuar jogando, não simplismente chegar lá e “comprar”. Recomendo que faça assim mesmo. Compra e venda de moeda é muito pior que o tal handcap que muitos falam, ja está provado que o pior dos males do jogo é esse.

Thiago Alberto
Guest
Nossa Rodrigo, que viagem!! Muito legal acompanhar a evolução do tempo do FUT, já tinha feito essa retrospectiva e até falei sobre isso em um comentário sobre as criticas que muitos andam fazendo sobre o jogo. A evolução gráfica e de jogabilidade foram muito aprimorada, mas muito da essencia de quando foi lançado o jogo permanece até agora. Vou contar como conheci o Fifa: minha irmã comprou uma CPU em meados de 1993, super moderna na época o modelo 486 do windows (rsrsrs) e nele como bônus veio o jogo FIFA 94′ onde a perspectiva do jogo era em modo diagonal, aquele meio de lado!! Horrível para se jogar, pois não existiam portas usb e os controles para comprar era um absurdo de caro. Jogava com as teclas do pc mesmo onde eu controlava os jogadores pelas setas e chutava no gol com a barra de espaço. Pra quem acha que bugs no fifa é uma coisa nova aqui vai o relato de um bug muito famoso na epoca que era pra se fazer gols… você chutava para o gol displicentemente e o goleiro adversário pegava a bola e segurava, aí você corria até ele com seu jogador e parava na sua frente atrapalhando o chute do goleiro, Resultado: a bola explodia no seu atacante e voce conseguia fazer o gol facilmente…um absurdo, mas já existia esse bug ná epoca. Após essa época do fifa 94′ passei a jogar o jogo da konami International superstar soccer no SNES em casa e Winning eleven no PS ( detalhe: PS jogava em locadoras do meu bairro, pois era muito caro!! ). Eis então que ganhei de presente um Nintendo 64 e com ele veio o futebol FIFA 64!! Um jogo totalmente novo de uma plataforma também nova, joguei pouco ele, pois logo o PS começou a popularizar aqui no Brasil e acabei conseguindo o meu.. Novamente fui para a franquia do FIFA Soccer e o jogo ROAD TO WORLD CUP France 98′, na minha opnião um dos melhores fifas que ja joguei!! nele tinham muitos times, inclusive brasileiros, onde conseguia “contratar” as estrelas para meu time de coração, Além claro da trilha sonora desse jogo que foi uma das mais marcantes de todos tempos nos fifas!! ( pra lembrar: https://www.youtube.com/watch?v=RTjC6rxHz8g) sempre me lembro do galinho mascote da copa da frança correndo na apresentação do jogo!! : ) Enfim, fiquei ausente do Fifa… Ler mais »
Caio
Guest

Thiago, cara, nossa historia eh identica com relaçao ao Fifa. Também comecei em 1994, também fui fã de International Superstar Soccer Deluxe e pra mim, o Road do World Cup 98 foi um dos melhores. Até o Fifa Street tbm joguei muito. Tbm fiquei um tempo longe dos games, mas voltei pro FIFA em PC em 2005, Adquiri um 360 em 2010 e joguei de tudo, mas numa proporção de FIFA – 90% do tempo e todos os outros – 10%. Ainda no começo de 2010, jogava um pouco de PES 2009 que era mto bom. Creio que foi o ultimo PES “higienico” e competitivo que saiu.
E estou em FUT desde 2010. Muita coisa mudou de lá pra cá. Hoje, posso dizer que arrastei mais de 100 pessoas pra dentro deete modo. Muito legal relembrar essas coisas, principalmente o FIFA 1994 que era feio pra caramba, de lado, mas conseguia ser algo legal ao mesmo tempo hahahahaha

Thiago Alberto
Guest

Valeu Caio!! Geralmente quem é da geração anos 80/90 que é o nosso caso, pegou todas as mudanças. sejam gráficas,jogabilidade, diversão, nao existia internet, pesquisa e testes eram nas locadoras ou casa dos amigos e etc… Sem desmerecer os mais novos ou os mais antigos, mas ter feito parte dessa geração bem na sua essência me dá muito orgulho, pois a experiência que adquirimos e vivenciamos ninguém tira de nós!!

Abraço.

Caio
Guest

Com absoluta certeza. Por pior que um jogo seja hoje em dia, a gente viveu uma época onde os jogos eram algo extremamente rústicos e limitados. Nao tinham variáveis. Praticamente todas as jogadas eram construídas da mesma forma. Os gols eram praticamente identicos. Existiam os famosos “esquemas de gol”. A bola nao tinha essa “fisica” que tem hoje, enfim. E a gente se divertia muuuuuito. No meio do jogo dava pau, a gente tirava o cartucho, soprava e colocava de volta huahauhauahuahua .. Enfim, quando vejo um jogo hoje, cheio de fisica, bandeirinha mexendo o rosto (tendo em vista que até o FIFA 2007 ou 2008 se nao me engano, os bandeirinhas nem sequer levantavam a bandeira. Ficavam parados feito postes), enfim.. fico me perguntando como os caras conseguem programar isso tudo.. muito legal!!

Nirlei Marcos
Guest

Rodrigo, parabéns pelo texto e pela dedicação aos amantes, e/ou viciados de FUT. Em mim despertou arrependimento. Pois jogo a franquia desde 2008 mas não me interessei pelo FUT desde o início. Apesar de tudo em fifa15, estou ancioso pelo 16, mas vou esperar até o lançamento para comprá-lo. Realmente creio que não há muito o que acrescentar ao jogo. Mas a EA poderia lapidar um pouco mais os jogadores. Digo no sentido das seus atributos no jogo. De forma que um jogador baixo, com pouca impulsão, não ganhe na disputa de cabeça de outro melhor no cabeceio e com melhor impulsão. Sei que é perfeitamente possível um jogador mais baixo (com boa impulsão) vencer a disputa de bola de outro maior. O que não dá pra aceitar é ver os melhores cabeceadores perderem para baixinhos e com atribuições baixas para tal. Esse é só um exemplo do que poderia ser melhorado. Outra coisa seria nos possibilitar a busca de jogadores por atributos, pelo menos dois por busca. Exemplo: listar melhores jogadores por liga que tenham melhor drible e passe. Ou melhor defesa e força. Etc. Pra quem já é fã só queremos melhorias na jogabilidade isso é obvio. Mas se não vierem nesse, torceremos pra que venha no próximo, ou no próximo, no próximo…… vlw.

Hugo Versiani
Member

Rodrigo, você é um jogador fundador?

Eu comecei em 2014 a jogar FIFA. Depois da recomendação de um amigo que, assim como eu, era jogador de PES mudei para a EA. Descobri o modo temporadas e depois o Ultimate Team. A dinâmica deste modo me viciou e procurei por mais informações na web, até que cheguei ao FIFAUTEAM.

Este texto com a trajetória do FUT deveria ter um espaço fixo e permanente para atualizações no site, pois muitos usuários procuram a origem e transformações deste vício ao longo dos anos em outros sítios e nenhuma informação com qualidade é encontrada.

Parabéns pelo texto e por nos proporcionar uma viagem pela história de FUT.

André
Guest

Hugo e amigos, eu tenho algumas dúvidas sobre o modo de carreira de treinador (desculpem sair um pouco do FUT):
1) Sei que os jogadores têm evolução conforme as temporadas vão passando. É possível jogar com o time que vc tem contra outros jogadores online?
2) Simular jogos e consequentemente temporadas influencia alguma coisa nas conquistas?
Quem conhecer sobre este modo e puder ajudar, desde já agradeço.
Obs: Rodrigo, sensacional o artigo.

Padilhão
Guest

André, pelo oque eu sei o modo carreira é totalmente Off-line. Seria legal ON-line, tipo uma ‘master-liga’, Mas, roubaria a ‘clientela’ do FUT e venda de fifa points, etc… No meu ver por isso não tem modo ON.
Na minha experiencia quando simulava jogos contra times fracos era 90% vitórias, times médios 50% empate o resto derrota, times fortes 90% derrotas.

Mario Inglese
Guest

Corrigindo o “Jogo dos Aflitos” que citei acima na verdade´ficou conhecido como a “Batalha dos Aflitos” por questões óbvias e circunstâncias “nebulosas”.

Abraços a todos da comunidade

Mario Inglese
Guest

Parabéns Rodrigo lopes pela história da saga de Ultimate Team e de FIFA, como sempre nos privilegiando do seu conhecimento e da sua vasta experiência com esse “magnífico” jogo de futebol virtual. Eu só peço a Deus “um pouco de malandragem” e que a EA deixe essa “malandragem” de lado e olhe para o jogo FIFA e para o modo Ultimate Team com mais carinho e que seja mais honesta com os consumidores e não nos faça de “cobaias” como fez em FIFA 15.
Claro que como fui mordido pelo vírus desse “jogo do mal” irei comprar o FIFA 16 (ainda) pois me tornei um belo de um viciado neste modo de jogo (FUT) e por falar em Handicap… Ah, o Handicap!!! Você assistiu o “Jogo dos Aflitos” que comentei em algum post anterior? Lá está a origem de muita coisa que acontece no jogo… pois o inexplicável e o impossível, assim como o improvável fazem parte do espetáculo “chamado” futebol, onde nem sempre quem ganha é o melhor.

Abraços

Luiz Henrique
Guest

Mto bom artigo, parabéns! Comecei em 2013, onde conseguia comprar no final do jogo no máximo um Muller. Graças ao site, hj tenho diversos tots, if’s e todos os tops ouro. Acho que tudo que a comunidade deseja em Fifa16 é uma melhora significativa em todos aspectos, não precisa inventar mais nada. Espero que EA entenda que a esta altura tem mais o que perder do que ganhar novos consumidores

Tomás
Guest

Excelente artigo como todos os outros neste site. Imagino o trabalho que deve ter dado !

Padilhão
Guest

Jogar com craques como Messi, Pele e … Sturridge ! kkkkkk
Muito legal a história resumida juntamente com seu comentário Rodrigo, Parabéns!

Rivaildo
Guest

Muito legal essa viagem no tempo…. kkkkk Ronadinho 90 pace 86…. kkkkk

Quanto ao modo FUT, como muito bem citado por vc Rodrigo, vejo que perdeu o rumo, e como muitas empresas que não conseguem manter o cresciento começa a “inventar” qualquer coisa.

Espero que a EA faça como algumas empresas e consigam se reinventar e manter o estimulo dos fãs… muito abalada com sucessivos erros absurdos em fut 14 e 15.

Mas pelo sim ou pelo não… estaremos aqui novamente em FIFA 16…

Grande abraço meu amigo!

Pajofzky
Guest

Artigo bastante interessante, principalmente para quem começou a jogar fut este ano como foi o meu caso.

Desconhecia a história mas a evolução do fut foi brutal, quer em fans quer em modos de jogo. Penso que será difícil a EA continuar com este ritmo de inovação e sucesso que tem tido até a data. Este ano fica marcado por alguns remates para fora, mas isso faz parte. Nem todos os remates saem certeiros.

Espero as novidades para o fut 16 com curiosidade porque o gameplay para o Fifa 16 pareceu me mais do mesmo.

Tomás
Guest

O meu caso é o mesmo, só comecei a jogar este ano mas agora já conheço a história.

antoniell
Guest

Otimo artigo. mas quendo surgiu o handcap? Calma nao precisa xingar e nem apagar. to brincando! Tenho jogado todos os fifas, mas confesso, esse foi a primeira temporada online, esse artigo me ajudou muito. Obrigado, parabens.

Roberto Houss
Guest

O que é handicap?

Rivaildo
Guest

Um “fantasma que ronda o FUT…. uns dizem que existem, mas ninguém pode provar…
Resumindo, é um sistema do FIFA que aumenta muito a sua probabilidade de derrota, ou seja, perde gols que não perderia normalmente, erra passes faceis, etc.

Eu não compartilho deste pensamento, e o Rodrigo sabiamente já previniu neste belo texto que este assunto polemico não se inicie em mais um post.

Abraço amigo!

Tomás
Guest

Vc roubou a minha ideia de perguntar pelo hancap 🙂

felipe
Guest

meu deus que artigo bom fez uma linha do tempo contou os altos e baixos do fifa como quase chegar a perfeição no fifa 12 e fifa 13 ou descer por água a baixo com o fifa 15 todas a cartas do fut em que algumas fazem sentido ja outras não…

wpDiscuz